Gambira – Dicas de Compras, Cursos, Concursos e muito mais.

Tratamento da infecção por HPV

Por com 0 Comentário

A infecção por HPV pode tornar a saúde do indivíduo mais suscetível a infecções e manifestações a longo prazo, como o câncer de colo de útero, entre outros.

Tratamento do HPV

O HPV, condiloma acuminado, ou simplesmente verrugas genitais, é uma doença infecciosa, transmissível sexualmente e perigosa devido a complicações que podem aparecer a longo prazo. A doença pode acometer homens e mulheres, e até mesmo recém-nascidos pelo fato de outro tipo de transmissão: de mãe para filho durante o parto. Com alguns cuidados é possível prevenir a doença, mas mesmo hoje em dia a informação parece não estar tão acessível a todos, sendo as doenças sexualmente transmissíveis um problema grave de saúde pública. Conhecida como a mais frequente DST, o HPV facilita ainda a transmissão do vírus do HIV, se comportando em certos casos como porta de entrada para outras doenças.

 

Complicações Mais Frequentes da Infecção por HPV

As complicações mais frequentes em relação a infecção por HPV são os cânceres, que podem acometer estruturas próximas a orofaringe, câncer de colo de útero e de ânus. Não são todos os subtipos do vírus que frequentemente ocasinam estas situações mais calamitosas, porém ninguém sabe qual é o sorotipo que está recebendo a princípio. As verrugas no ânus são a forma principal de apresentação desta doença, aparecendo no homem na “cabeça do pênis” e na mulher em região de vagina e vulva. O ânus e estruturas da boca também são acometidos, em ambos os sexos.
Mesmo o sexo oral deve ser realizado com preservativo, visto que DSTs tem um comportamento transmissível por mucosas, não necessariamente àquela relacionada a genitália.

complicacoes-mais-frequentes-hpv

Tratamento do HPV

O papilomavírus quando gera verrugas determina um processo autolimitado, ou seja, o próprio sistema imunológico dá conta da infecção. Porém o vírus não sai mais do organismo e fica a espera de uma oportunidade de baixa da imunidade para instalar-se e desenvolver-se novamente. Como técnica para eliminação das verrugas, o médico faz a cauterização química ou elétrica. Alguns medicamentos e cremes também podem ser prescritos, e isto depende muito de caso a caso, e principalmente do método que o médico confia e julga mais eficaz. O tratamento é feito logicamente após o contágio, enquanto a infecção está se desenvolvendo, mas alguns métodos pré-exposição são muito propícios e evitam a infecção por HPV.

tratamento-do-hpv

Profilaxia Pré-exposição do HPV

Uma forma de tratar o HPV é introduzir antes do contato com o vírus uma vacina, que irá estimular o organismo a produção de anticorpos que ataquem o vírus e o destrua quando houver o contágio. Infelizmente a vacina ainda não está sendo oferecida de rotina nos postos de saúde, e só pode ser oferecida hoje na rede particular. Custa em torno de R$300,00 a dose e é recomendada para utilização em pré-adolescentes, principalmente do sexo feminino. Estima-se que 30% das mulheres é portadora de algum sorotipo de infecção por HPV.
O método mais utilizável para evitar o HPV é o uso da camisinha, que além desta doença previne inúmeras outras de transmissão sexual.

profilaxia-pre-exposicao

Fármacos para Tratamento do HPV

Uma vez que a doença se manifeste na pessoa, é necessário o tratamento com medicamentos e a cauterização. O HPV que cura sozinho é aquele que sequer expõe as verrugas. As pomadas são as mais utilizadas, e são usadas no local das verrugas. Estes medicamentos são a base de ácido tricloroacético, pedofilina e imiquimod. Faz parte também usar preservativos nas relações sexuais para evitar que novos subtipos (que podem ser potencialmente mais graves) façam uma nova infecção, além de abaixar as chances de contaminação do parceiro.
Há estudos que recomendam uma alimentação regrada e o uso de remédios naturais.
A técnica de cauterização é feita apenas para o HPV de alto risco, embora o tratamento com medicamentos seja recomendado para qualquer tipo de infecção por HPV.
Homens e mulheres devem fazer regularmente avaliação médica para exames de rotina, principalmente o preventivo no sexo feminino.

Assinar

Gostou desse artigo? Então se inscreva e receba várias novidades.

Escrever um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Top