Gambira – Dicas de Compras, Cursos, Concursos e muito mais.

Hipertensão Arterial Sistêmica

Por com 0 Comentário

A Hipertensão Arterial Sistêmica é uma doença silenciosa e muito prevalente no Brasil. A população infantil também é um público de risco. Confira o artigo!

A típica pressão alta é uma das doenças mais prevalentes no Brasil e afeta homens e mulheres. Ao longo do tempo, com os hábitos de vida sendo modificados, principalmente os relacionados a qualidade alimentar e ao sedentarismo, as crianças cada vez mais cedo apresentam este problema, que é o começo para uma série de alterações significativas e pode acabar num desfecho fatal: acidente vascular cerebral (AVC, derrame) ou infarto agudo do miocárdio. Veja mais sobre hipertensão.

 

Causas de Hipertensão

As causas da hipertensão arterial sistêmica são muitas, com destaque a predisposição genética de cada um. Famílias hipertensas sempre gerarão descendentes hipertensos, então é preciso uma certa conscientização coletiva. Abusar no uso do sal por exemplo é uma das situações que melhor exemplificam os fatores que precipitam a pressão alta, além da obesidade e da falta de exercícios físicos regulares.

 

Antigamente as pessoas eram muito mais ativas. As crianças brincavam na rua, tinham certo condicionamento físico que hoje em dia já não têm. Isso contribui para o aumento do peso e da pressão arterial.

 

Causas da hipertensão

 

Diagnóstico da Doença

Para ser diagnosticado hipertenso, o indivíduo deve ir a três consultas com um cardiologista ou médico da família com os valores pressóricos superiores a 139×89, ou seja, 14 por 9. A pressão 13 por 8 é um estado de pressão arterial limítrofe, o que já dá indícios para um início terapêutico, que não necessariamente será medicamentoso.

 

A aferição da pressão deve ser feita com um esfignomanômetro por um profissional treinado, várias vezes por consulta. Se houver dúvida quanto ao diagnóstico, ou situações de hipertensão do jaleco branco (quando os níveis pressóricos aumentam apenas no momento da consulta), pode-se dispôr de outras condutas, como a utilização de um aparelho que mede continuamente a pressão arterial.

 

 

Diagnóstico da doença

Tratamento da Hipertensão

O tratamento inicial da hipertensão quase nunca será medicamentoso. Primeiro, usa-se a modificação no estilo de vida, ou seja, diminuir o sal da comida, tentar diminuir o stress e a preocupação, perda de peso,  dieta, parar de fumar, fazer exercícios físicos aeróbicos.

 

Por seis meses o indivíduo terá que mudar sua rotina se quiser dar mais um passo ao tratamento de uma forma correta. Muitas pessoas conseguem apenas com estas modificações o controle da pressão arterial, eliminando a necessidade da intervenção com medicamentos. Caso não tenha outra opção, começa-se o tratamento medicamentoso.

 

 

Tratamento da Hipertensão

Anti-hipertensivos para Tratamento da Hipertensão

Podem ser usadas diversas classes de anti-hipertensivos, como os diuréticos poupadores de potássio, tiazídicos, não tiazídicos, inibidores da enzima conversora de angiotensina, inibidores do canal de cálcio, beta bloqueadores. Cada caso é um caso, e o médico adaptará o tratamento ao longo do tempo a partir do biotipo e das necessidades de cada um.

 

O diurético por exemplo, pode ter um efeito espetacular para certa pessoa com hipertensão. Porém, se sua profissão exige que trabalhe durante muito tempo sem a chance de ir ao banheiro, o tratamento já se torna extremamente falho porque irá ocorrer a desistência. Por isso, adaptação e relação médico paciente é fundamental.

 

 

Complicações da Hipertensão Arterial Sistêmica

A hipertensão associada ao diabetes, obesidade, dislipidemia (excesso de colesterol no sangue), entre outros pode causar a chamada síndrome metabólica. Além disso, a chance de infarto e AVC estão muito aumentadas, com prejuízo da qualidade de vida e muitas vezes indo ao óbito em questão de minutos.

 

Lesão renal também é uma grande complicação sobretudo da hipertensão e diabetes, pois acaba alterando a filtração renal deixando que pequenas proteínas passem para a urina. Com o tempo, proteínas maiores podem ser desperdiçadas e o paciente evolui para a hemodiálise.

 

-> Principal sinal de inicio de um AVC

 

 

Todas essas complicações da hipertensão podem ser evitadas com o uso de medicamentos e medidas comportamentais simples, portanto facilmente evitadas. Embora tudo isso seja conhecido e difundido a população, cerca de 35% das pessoas com mais de 40 anos no Brasil sofrem deste mal.

Assinar

Gostou desse artigo? Então se inscreva e receba várias novidades.

Escrever um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Top